Moiheka,
o rei surfista

Conta a lenda que os mais corajosos reis havaianos disputavam as maiores e melhores ondas. Havia um rei chamado Tahito, que era mais conhecido como Moiheka. Diz a lenda que ele viajou do Tahiti até o Havaí surfando as ondas que encontrava pelo caminho.

Chegou a um local chamado Mokaiwa, na ilha de Kauai e por lá viveu por muitos anos, se lançando nas melhores ondas da região. Ele tinha o costume de acenar para todos enquanto dropava suas ondas e todos acenavam de volta. Um dia, Moiheka perdeu 3 dedos da mão em uma luta e ficou apenas com o polegar e o dedo mínimo. Desde então, quando dropava uma onda e acenava para seus amigos com aquela mão, estes retribuíam o gesto acenando com os dedos fechados, deixando a mostra apenas o polegar e o dedo mínimo. Diz-se que assim nasceu o gesto Shaka, ou o Hang Loose.

 

Se Moiheka não tinha os dedos, como ele poderia remar bem se sua mão tinha menos área que as outras? Como agarrar a borda da prancha quando precisasse? O rei havaiano era um surfista diferente.

Mas não são todas as pessoas diferentes? Sim. Somos diferentes em maior ou menor grau. Mais visível ou invisível, porém ninguém é igual.
Hoje temos a oportunidade de compartilhar cada vez mais os espaços e as atividades com todas as diferenças. Não é um problema não ser mais jovem. Não é um problema precisar de ajuda para andar. Não ver ou ouvir. São apenas diferenças. E estamos juntos. Somos Ohana.

 

O Festival Prancha Oca deste ano vai celebrar essa família de diversidades unindo a todos na sua programação. O ponto que conecta a todos é o He’e Nalu. Uma grande família de pessoas que deslizam sobre as ondas. Cada um a sua maneira, todos conectados ao mar e a sua força.
 

Diferente do que tem sido ao longo dos anos, o Festival ocorrerá no Posto 3. A nova casa do surf adaptado de Santos. Como isso não é mudança suficiente, vamos estar na água juntos. Todas as baterias terão surfistas adaptados e não mais uma bateria independente.

Incluir é oferecer oportunidades.
 

Aloha!!!

  • Instagram

Inclusivo

+

Este ano o festival vai dar um passo além na inclusão.
As baterias serão menos segmentadas, ou seja, menos categorias.
E o desejo da organização é que tenhamos 4 surfistas adaptados em cada bateria do evento junto com outros atletas.

 

Como se trata de um festival, feito para a família e que tem como mote principal o espírito aloha, nada faz mais sentido do que todos se divertindo juntos, de forma segura e incentivadora.

O “Reboot” do evento deste ano visa manter o festival próximo a sua essência. Não é um festival que pretende ser gigante, mas é um festival que deseja marcar a vida das pessoas que por ele passarem.

Receberemos convidados de outros grupos de surf adaptado do Brasil e de fora do país. Lugares estes que já contam com o apoio do projeto Sonhando Sobre as Ondas.

Este ano o evento ocorrerá em frente ao Posto 3, Escola Radical de Surf Adaptado e contará com uma estrutura especial de acesso a praia.

Foto: Isabela Carrari

Saiba mais sobre

Festival Prancha
Oca 2020

Conheça mais sobre o festival que já é parte do calendário da cidade de Santos. Clique aqui.

Escola Radical
de Surf Adaptado

A 1º escola totalmente dedicada
ao surf inclusivo é Santista.
Saiba mais.

Sonhando
Sobre as Ondas

Disseminar o surf adaptado pelo mundo. Esta é a missão.

Conheça o projeto.

Organizadores

EVENTO EM STAND BY

FUTURAMENTE TEREMOS NOVAS DATAS